• Da Redação

Vendido no Recife para prevenir coronavírus, álcool em gel supostamente falsificado é apreendido em

Foram apreendidas 3.012 embalagens, cada uma com 500 mililitros (ml) da substância




Do Jornal do Commercio

Foto: Tião Siqueira/JC Imagem


Um homem de 40 anos foi preso em flagrante, nesta segunda-feira (30), por estar "comercializando álcool em gel de origem duvidosa e supostamente falsificado", informou a Polícia Civil. A substância ficava armazenada em uma residência no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife (RMR), e era vendida, diretamente e por meio de um aplicativo de mensagens, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.


A polícia chegou ao vendedor, um empresário do ramo de cosméticos, após receber denúncias de moradores de Boa Viagem que compraram o produto. Ao todo, foram apreendidas 3.012 embalagens, cada uma com 500 mililitros (ml) da substância.


"Começamos a receber denúncias de pessoas que compraram. Alguns perceberam cheiro diferente, uma textura diferente na mão, algumas impurezas no produto, e ligaram para avisar que acreditavam que era falsificado. Uma dessas pessoas disse que teria como ver a placa do carro [pelas imagens de câmeras de segurança]. Pela placa, chegamos até ele", explicou a delegada Beatriz Leite.


O empresário, segundo a polícia, informou que a carga veio da Bahia. Ao checar o suposto CNPJ, os policiais descobriram que não existia. "Ele disse que a carga veio da Bahia e seria de uma fornecedora dele de outros produtos, mas não tinha nota fiscal. Pela embalagem, percebemos que é o lote 001 de um produto fabricado em março deste ano com validade até 2022. Consultamos o CNPJ e descobrimos que não existe", disse a delegada.


Parte do material apreendido foi encaminhado para perícia do Instituto de Criminalística (IC). O empresário será encaminhado para audiência de custódia.


Leia a nota da Polícia Civil sobre o caso:


A Polícia Civil de Pernambuco, por meio da 3a DESEC - Boa Viagem - sob coordenação da delegada Beatriz Leite, prendeu um homem, de 40 anos, em flagrante delito por estar comercializando álcool em gel de origem duvidosa e supostamente falsificado, crime enquadrado no artigo 273, parágrafo 1o do Código Penal que trata sobre falsificação e adulteração. A carga com 3.012 unidades, cada uma com 500ml da substância, foi apreendida no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes, e se destinava a ser comercializada em venda direta no Bairro de Boa Viagem, no Recife, e também via Whatsapp. O material estava acondicionado em 251 caixas. A mercadoria não tem nota fiscal. O homem será encaminhado para audiência de custódia.


#maisjaboatao#jaboatãodosguararapes#saúde #fiscalização #prevenção#coronavírus#covid19

0 visualização