top of page

Roberto Cabrini é impedido de entrar na Ilha de Marajó para reportagem sobre exploração sexual

Em um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais, o jornalista foi abordado por um homem que buscava impedir que ele filmasse a ação de policiais militares

Do Correio Braziliense

Foto: Divulgação/Internet


O renomado jornalista Roberto Cabrini protagonizou um episódio marcante durante sua recente reportagem na Ilha de Marajó, no Pará, para o programa Domingo Espetacular. Sua investigação sobre as denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes, destacadas pela cantora Aymeê em um reality show gospel, revelou-se uma tarefa árdua e corajosa.


Enquanto exercia seu papel de repórter, Cabrini enfrentou uma tentativa de intimidação por parte de autoridades locais. Em um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais, o jornalista foi abordado por um homem que buscava impedir que ele filmasse a ação de policiais militares. No entanto, ciente de seus direitos, o repórter prontamente rebateu a tentativa de cerceamento.


Ao afirmar que como jornalista tinha o direito de divulgar as imagens, Roberto Cabrini reafirmou sua determinação em desempenhar seu papel de informar a sociedade sobre questões importantes e sensíveis como a exploração sexual de menores.


Em meio à discussão, o jornalista ressaltou sua compreensão da lei e sua intenção de cumprir seu dever profissional sem prejudicar ninguém. A missão de Cabrini na Ilha de Marajó busca trazer à tona a verdade sobre os eventos na região, dando voz às supostas vítimas e seus familiares.


Cabrini pretende revelar como atuam os criminosos que exploram meninos e meninas para a prostituição, trazendo à luz uma realidade muitas vezes oculta e negligenciada. O vídeo ganhou notoriedade nas redes sociais e gerou vários comentários entre os internautas.


Σχόλια


bottom of page