top of page

Projeto Aria Social celebra três décadas com musical em homenagem à Capiba

A montagem, inédita, segue em exibição até o domingo (16), fechando a primeira temporada de apresentações para, de 3 a 6 de novembro

Da Folha de Pernambuco

Foto: Melissa Fernanda/Folha de Pernambuco


O musical “Capiba, Pelas Ruas Eu Vou” estreia nesta quinta-feira (13/10) no palco do Teatro de Santa Isabel, no Recife. Idealizado pelo projeto Aria Social, que vai celebrar três décadas de trabalho na arte-educação homenageando o gênio pernambucano, o espetáculo tem direção geral de Cecília Brennand, responsável em abrir as portas do Aria no início da década de 1980, e direção musical da maestrina e vice-presidente do projeto, Rosemary Oliveira.


A montagem, inédita, segue em exibição até o domingo (16), fechando a primeira temporada de apresentações para, de 3 a 6 de novembro, retornar ao espaço e a partir de então seguir País afora exaltando um dos maiorais da música brasileira.


A montagem, inédita, segue em exibição até o domingo (16), fechando a primeira temporada de apresentações para, de 3 a 6 de novembro, retornar ao espaço e a partir de então seguir País afora exaltando um dos maiorais da música brasileira.



Juntam-se à produção do musical - que conta com pelo menos 30 integrantes formados no Aria e que, no palco, vão celebrar Capiba em meio ao canto e à dança - a professora e coreógrafa Ana Emília Freire, assinando além da direção artística, o roteiro e a coreografia. Já o ator pernambucano Tuca Andrada está à frente da direção teatral. Em conversa com a Folha de Pernambuco, Tuca foi “repetitivo” ao esbanjar orgulho em integrar a produção do musical.


“Quero fazer alguma coisa com vocês”

“Foi por acaso que fui parar no Aria. Estava procurando um lugar para ensaiar o meu solo sobre o poeta Torquato Neto - vou estrear em Recife em março do ano que vem. Conhecia Cecília Brennand de muito tempo atrás, fizemos um espetáculo de dança e fui procurá-la porque eu sabia que ela tinha uma escola grande que poderia me ceder algum espaço. Foi quando conheci o projeto e fiquei encantado. Falei com ela e disse ‘eu quero fazer alguma coisa com vocês, trabalhar de alguma maneira’. Ela me contou sobre o espetáculo de Capiba, fui dar uma olhada e assumi a coordenação teatral”.



“Arte-educação é necessário no Brasil”

O trabalho de arte-educação se vê pouco no Brasil e pegar uma entidade como o Aria, que se propõe a isso, me deixou completamente encantado... Educação é essencial em qualquer país, e o trabalho de arte-educação é difícil de se ver por aí, e é tão necessário no Brasil de hoje. Foi uma sorte ter passado esse tempo no Recife, ter visto esse trabalho de perto, me deixa muito orgulhoso”.


“Capiba, dispensa comentários”

“Capiba é um monumento pernambucano e levar o espetáculo ao Teatro de Santa Isabel, é fantástico. O teatro é um dos edifícios culturais mais importantes do Brasil, é lindo, já trabalhei nele... Eu estou muito feliz. Estou muito feliz mesmo e orgulhoso. Fazia muito tempo que eu não trabalhava no Recife, saí da cidade há 36 anos e é muito importante pra mim estar fazendo isso agora”.


“Frevo, música eletrizante”

“Adoro frevo, acho uma música eletrizante, remete sempre à minha infância, aos carnavais. Sou um grande admirador do frevo, e de Capiba, e foi muito bom participar desse trabalho porque eu passei a conhecer mais sobre a vida dele, além da obra”


Serviço

Musical “Capiba, Pelas Ruas Eu Vou”, em celebração aos 30 anos do Aria Social


コメント


bottom of page