top of page

Polícia Civil detalha prisão de suspeito de matar mãe e filha em Candeias

O crime, que levou mãe e filha a óbito, aconteceu nesta quarta (05) desta semana, em frente ao prédio onde moravam, o Edifício Vila do Sol, em Jaboatão

Da Folha de Pernambuco


Preso em flagrante de delito na última quinta-feira (6), em Arapiraca, no estado de Alagoas, o suspeito de matar a ex-namorada Laura Beatriz Santos Silva, de 23 anos, e a mãe dela, Jedete Santos Silva, de 48, não ofereceu resistência no momento de sua prisão. A Polícia Civil passou detalhes da prisão em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (7), no auditório da Sede Operacional da PCPE.


O crime, que levou mãe e filha a óbito, aconteceu na quarta-feira (5) desta semana, em frente ao prédio onde moravam, o Edifício Vila do Sol, no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.


No apartamento em que viviam, residia também o marido de Jedete, padrasto de Laura, que não estava com elas no momento do crime.


Na manhã desta sexta-feira (7), o suspeito foi encaminhado para audiência de custódia presidida pelo juiz Renato Dibachti Inácio de Oliveira, no Polo de Audiência de Custódia da Comarca de Jaboatão. Em seguida, ele foi encaminhado ao Cotel.


O prosseguimento do inquérito ficará a cargo do delegado Rodrigo Ribas. O homem será autuado por homicídio duplo, qualificado em feminicídio.


De acordo com o delegado Cláudio Neto, chefe da divisão de homicídios Metropolitana Sul, o suspeito, que não teve a identidade revelada- mas se trata de um homem de 37 anos-, não ofereceu nenhum tipo de resistência. Ele é natural de Alagoas e foi encontrado na casa de familiares no seu estado de origem.


A arma utilizada no crime, um revólver calibre 38, não foi localizado pela polícia. O suspeito afirmou ter arremessado num rio perto de Ribeirão, no trajeto de Pernambuco até Alagoas, onde aconteceu sua prisão


O delegado afirmou que o homem, em conversa com os policiais, se mostrou arrependido, mas tentou justificar sua atitude: "Tentava de alguma maneira justificar o crime dizendo que estava vivendo um relacionamento conturbado".


Segundo familiares das vítimas, Laura Beatriz teve um relacionamento de dois anos e quatro meses, encerrando em maio. A jovem já havia feito queixas contra o homem à polícia e conseguido uma medida protetiva na Justiça.


Fabiana Ferreira Leandro, gestora do Departamento de Polícia da Mulher, informou que não havia nenhum registro oficial de descumprimento das medidas. Ela ressaltou a importância das denúncias.


"É importante que as mulheres denunciarem qualquer tipo de violência. Familiares, vizinhos e amigos devem prestar apoio e também realizar as denúncias", disse Fabiana.


A Polícia Civil tem 15 delegacias especializadas da mulher no estado de Pernambuco. No município onde não houver um local específico, qualquer delegacia registra o boletim de ocorrência.


Em caso de descumprimento de medidas protetivas, pode ligar para o 190 ou procurar uma delegacia.

Comments


bottom of page