• Da Redação

Em um ano de pandemia, cesta básica sobe 27,31% na RMR

pesquisa, realizada pelo Procon-PE, demonstrou que a cesta em março de 2020 custava R$ 412,46 e em abril de 2021, passou para R$ 525,09





Da Assessoria de Imprensa

Foto: Procon PE/Divulgação


Após um ano de pandemia, a Cesta Básica na Região Metropolitana do Recife (RMR) subiu 27,31%. A pesquisa, realizada pelo Procon-PE, demonstrou que a cesta em março de 2020 custava R$ 412,46 e em abril de 2021, passou para R$ 525,09. Em reais uma diferença de R$112,63. Já o salário mínimo subiu apenas R$ 55.


A pesquisa analisou os 27 produtos da cesta básica. Em um ano, 22 subiram de preço. Os que tiveram maior destaque foram: o quilo da cebola (110,58%); o óleo de soja (79,69%) e a charque de segunda (77,46%). Já no setor de higiene o que mais subiu de preço foi a água sanitária, 22,68% e em higiene pessoal, o sabonete foi quem teve o preço disparado, (27,12%).


A cesta básica do município de Caruaru também apresentou uma grande diferença em um ano. Passou de R$ 395,25 para R$ 508,51, uma diferença de 28,66%. Após um ano, o Procon Pernambuco retornou a pesquisas também nos municípios de Goiana, Vitória de Santo Antão e Caruaru. Dos municípios pesquisados, Vitória de Santo Antão é o que tem a menor cesta básica. Em abril, a cesta sai por R$ 471,28.


Na RMR, no mês de abril, dos 27 produtos pesquisados, 13 subiram de valor. Os alimentos que mais subiram de preço foram: os ovos, a bandeja subiu de R$ 9,99 para R$ 13,99, um aumento de 40,04% e o quilo do alho passou de R$ 13,90 para R$ 18,58, um aumento de 33,67%.


A pesquisa do Procon Pernambuco passou por 22 estabelecimentos da RMR, nos municípios de Recife, Olinda, Paulista, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca. Desses, dois supermercados funcionam dentro da Ceasa. A análise dos preços é feita em 27 itens, entre alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal.


O cenário é difícil para a maioria das famílias brasileiras. Neste sentido, continuamos elaborando a pesquisa de preços do Procon Pernambuco para que a população possa pesquisar e economizar, frisa o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.


Na pesquisa do órgão de defesa do consumidor é possível identificar o preço de cada item por estabelecimento e, desse modo, fornecer ao consumidor os locais e endereços onde o produto encontra-se mais acessível. A pesquisa pode ser encontrada no site do Procon: www.procon.pe.gov.br.


#maisjaboatao #jaboatãodosguararapes #procon #proconpe #cestabásica #fiscalização #consumido #pernambuco #pandemia

1 visualização