• Da Redação

Dia das Mães: para 76% dos consumidores os produtos estão mais caros em 2021

Pesquisa foi realizada em todas as capitais brasileiras pela CNDL e pelo SPC Brasil, em parceria com a Offer Wise Pesquisas.


Do Varejo S.A.

Foto: © Tânia Rêgo /Agência Brasil


Segundo pesquisa CNDL/SPC Brasil, 72% dos compradores pretendem pagar as compras à vista (72%), sendo que em 40% dos casos o pagamento será em dinheiro O levantamento ‘Intenção de Compras para o Dia das Mães 2021’ aponta que 76% dos consumidores consideram que os preços dos produtos estão mais caros este ano na comparação com o ano passado. Para 19%, os produtos estão na mesma faixa de preço; e 5%, mais baratos.


Divulgada no último dia 27 de abril, a pesquisa foi realizada em todas as capitais brasileiras pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas.


As entrevistas ocorreram pela web, de 01 de abril a 08 de abril de 2021, com 756 pessoas – homens e mulheres com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes econômicas (excluindo analfabetos). Do total de entrevistados, 602 casos tinham a intenção de realizar compras para o dia das Mães deste ano.


O estudo mostra também que os brasileiros farão pesquisa de preços antes de escolher o presente para o Dia das Mães 2021. A maioria dos entrevistados (81%) afirma que pretende pesquisar preço antes de irem às compras, principalmente (81%) pela internet, seja em sites/aplicativos (70%) ou nas redes sociais (43%). Já 65% fazem pesquisa sem o uso da internet, principalmente nos shoppings (40%), em lojas de rua (31%) e através de panfletos de lojas (16%). Os sites e aplicativos mais utilizados para pesquisar preço são os de lojas varejistas (78%), os buscadores (63%) e os de comparação de preços (47%).


De acordo com o levantamento, apenas 28% dos entrevistados que presentearão a própria mãe vão perguntá-la sobre o que deseja ganhar. Os entrevistados têm a intenção de presentear não apenas as próprias mães (79%), como também as esposas (18%) e sogras (18%).


Endividamento Outra constatação do estudo é que a maioria dos consumidores pretende não se endividar no Dia das Mães, dando preferência para o pagamento à vista (72%), sendo que em 40% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 28%, no cartão de débito. O pagamento a prazo será escolha de mais da metade (52%) dos entrevistados, sobretudo no cartão de crédito parcelado (28%) ou em parcela única também do cartão de crédito (22%). Entre os que dividirão as compras, a média será de quatro parcelas, isso significa que o consumidor só se verá livre desse compromisso em meados de setembro.


“Em um momento em que as pessoas estão inseguras em seus empregos, comprar o presente à vista em dinheiro pode ser uma boa alternativa para fugir do endividamento e evitar comprometer a renda no futuro”, orienta a especialista em finanças da CNDL, Merula Borges. Sobre os cuidados com o orçamento, a pesquisa ainda sinaliza que muitos dos consumidores já extrapolaram o limite de endividamento: 30% dos que pretendem presentear no Dia das Mães estão com contas em atraso e, destes, 64% estão com o nome sujo atualmente.


Outro comportamento imprudente é que 33% das pessoas ouvidas admitem ter o costume de gastar mais do que podem para agradar as mães com presentes na data e 13% reconhecem que podem deixar de honrar algum compromisso financeiro para ir as compras neste Dia das Mães.


Merula Borges alerta sobre a importância do planejamento em datas comemorativas, para que o lado emocional não se sobreponha à realidade financeira do consumidor.


“O gasto com o presente precisa caber no orçamento. Antes de sair para as compras é essencial que o consumidor analise suas contas e seus gastos básicos e defina com clareza o quanto pode gastar, dentro de uma análise realista. Para evitar que uma data comemorativa leve o consumidor ao descontrole das finanças e acabe virando motivo de preocupação, ele precisa ser um consumidor planejado para não ceder às compras por impulso”, orienta a especialista em finanças.


Maioria quer comemorar a data na casa da mãe Apesar dos alertas para que a população evite eventos sociais e aglomerações, o local da comemoração da data deverá seguir a tradição para a maioria dos brasileiros: 41% dos entrevistados planejam comemorar na casa da mãe, 36% em sua própria casa, e 8% vão comemorar à distância, através de vídeo chamada ou telefone. Considerando aqueles que devem comemorar à distância, 88% citam a pandemia como motivadora. A pesquisa ainda detectou que 11% dos consumidores devem recorrer a estratégia de dividir o valor das compras com alguma outra pessoa. O rateio será feito, principalmente, entre irmãos (43%), outros familiares (31%) e com o pai (20%). Aliviar o bolso em um momento de dificuldades econômicas é a principal razão para quem vai dividir o pagamento dos presentes com alguém próximo: 28% querem dividir o pagamento devido aos efeitos negativos da pandemia sobre o orçamento, 21% querem dar um presente mais caro, e 13% afirmam que os preços estão muito altos.


A maioria dos entrevistados (44%) pretendem comprar o(s) presente(s) na primeira semana de maio, 27% no mês de abril e 16% nas vésperas do Dia das Mães.


“O recomendável é sempre evitar compras de última hora, pois na pressa acaba não sobrando tempo para pesquisar preços e analisar o orçamento. Ir às compras com calma e com tempo para pesquisar é sempre a forma mais segura para evitar furos no orçamento. Nesses casos, a internet é uma grande ferramenta de pesquisa”, analisa Merula Borges.


#maisjaboatao #jaboatãodosguararapes #jaboatãodosguararapes #economia #diadasmães #consumidor




0 visualização