top of page
  • Da Redação

Reforma administrativa da Prefeitura do Jaboatão é reprovada por unanimidade na Câmara

Atualizado: 15 de dez. de 2022

Durante sessão nesta quarta (14), os parlamentares também aprovaram o projeto de Emenda Impositiva que dará autonomia para cada vereador destinar R$ 800 mil de verba por ano

Foto: Tiago Brito


Mais um episódio demonstrou que a relação entre o Legislativo e o Executivo de Jaboatão dos Guararapes pode estar estremecida. A Câmara de Vereadores reprovou por unanimidade a proposta de reforma administrativa, o projeto de lei complementar 02/2022, enviada pelo prefeito Mano Medeiros e aprovou o projeto de Emenda Impositiva, durante sessão realizada nesta quarta-feira (14/12). As votações tiveram o mesmo resultado: 20 votos contra o projeto e cinco a favor. Um vereador faltou à sessão e o presidente da Casa, Adeíldo da Igreja, não votou pois sua intervenção é em caso de empate.


Apesar da reforma administrativa não causar danos ao erário público, a proposta seria para reorganizar e criar algumas pastas, a exemplo do gabinete da prime-dama do município, além das secretarias de Captação de Recursos, de Governo Digital e de Articulação Política que ficaria comandada pelo engenheiro, advogado, cientista político e blogueiro, Roberto Santos.


A aprovação do o projeto de Emenda Impositiva torna obrigatória a execução das emendas individuais dos 27 vereadores da Casa Vidal de Negreiros ao projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA). Nos bastidores, essa medida vai dar mais autonomia, pois, a partir de agora, cada parlamentar poderá destinar os R$ 800 mil por ano nas comunidades do município. Juntando o valor de todos os vereadores, o montante anual é de 21,7 milhões. Somados os dois anos da atual legislatura chega a R$ 43,4 milhões. Pela nova regra, ao menos metade dos recursos devem ser destinados aos serviços de saúde.


Outra informação repassada ao Mais Jaboatão é que essas votações representaram uma derrota para Mano Medeiros e para a Família Ferreira que não conseguiu manter a unidade dos votos e, isso, pode refletir nesses dos anos de gestão. Resta saber se os parlamentares receberão represálias por conta da rejeição da reforma.


Ao todo, 20 vereadores foram contra a reforma: Marlus Costa, Neco Filho, Irmão Dé, Nado do Caminhão, Nando Campos, Lica do Microonibus, Eurico Moura, Wando do de Zé Bom, Melque Almeida, Júnior da Farmácia, Jailton Batista, Rogério Melo, Neneca do Piston, Alberto Bezerra, Juca da Lage, Charles Motorista, Manoel de Moura, Tôtô Junto Com o Povo e Adiel Agostinho. Já Nando Ceres, e Eurico votaram por telefone.


A favor, votaram: Jeane Cândido, Josué da Harpa, Pastor Ginaldo, Eneas Marcelo e Belarmino Souza. Este último, líder do Governo na Câmara. Márcio do Curado está de licença médica.


SAIBA MAIS


Berlarmino Sousa sobre rejeição da reforma administrativa na Câmara: "não considero como derrota"


#maisjaboatao #jaboatãodosguararapes #jaboataodosguararapes #política #eleição #eleições2022 #elçeições2024 #pernambuco

bottom of page