• Da Redação

Artesão denuncia que foi expulso da Loja do Artesanato de Jaboatão sem direito a defesa

Segundo Pedro Jordão, a medida foi determinada pelo vereador licenciado e secretário do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, Jorge Júnior

Foto: Divulgação


Continua a repercussão da retirada do artesão jaboatonense, Pedro Jordão, da loja colaborativa a empreendedores da economia solidária e do projeto Jaboatão Gerando Renda Solidária, desenvolvidos pelo Governo Municipal. Ao Mais Jaboatão, afirmou que a expulsão foi feita pelo vereador licenciado e secretário do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, Jorge Júnior (PTB). Outra medida foi a destituição do atual conselho gestor. Segundo ele, o motivo foi perseguição política. "Isso aconteceu pelo simples fato de cobrar do poder público as melhorias para a nossa classe e apontar os problemas das comunidades", disse.


"Fui escolhido pelos os artesãos do território III (Prazeres), para ficar à frente da Loja do Artesanato de Prazeres, em dezembro do ano passado. Não tenho e não sou cargo comissionado ou contratado, nem tão pouco sou atrelado a político. A decisão da Prefeitura e da Secretaria foi feita de forma arbitrária e sem o direito de defesa. Todas as alegações citadas pelo secretario Jorge Junior são falsas, inverídicas e não garantiu o direito se defesa", detalhou Pedro, que também é um dos fundadores da Economia Solidária da cidade, líder comunitário, educador social e popular, artesão, militar de profissão e defensor dos direitos humanos e sociais.


O Mais Jaboatão teve acesso ao documento assinado pelo secretário Jorge Júnior. A exclusão foi devido alguns motivos, a exemplo: ter incluído novos participantes sem aprovação dos cessionários e sem comunicar a pasta, falta de transparência na gestão dos recursos da loja e a inclusão de novos participantes que não residem na cidade. "O documento não tem o poder de me afastar. A única forma de ser retirado é com uma ordem judicial ou por meio de votação pelos os artesãos. Continuo na loja", contou.


Pedro criticou ainda que a atitude é um "retrocesso pelo direito adquirido, perseguição, desrespeito a um cidadão, pai de família e defensor dos direitos dos artesãos".


FALTA ESTRUTURA - Pedro Jordão ressaltou que as três lojas do Artesanato (Prazeres, Jaboatão Centro e Cavaleiro) estão com banheiro sem o devido funcionamento e, também alguns são utilizados como estoque. Outra reclamação é que não tem sistema de esgoto e de fossa e falta de caixa d´água.


RESPOSTA - Com o compromisso de ouvir os lados, o Mais Jaboatão enviou uma nota de resposta à Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes. Também estamos à disposição caso o secretário do Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, Jorge Júnior queira se posicionar sobre a denúncia.


#maisjaboatao #jaboatãodosguararapes #jaboataodosguararapes #lojadoartesanato #economiasolidaria #prazeres #jaboatocentro #cavaleiro #pernambuco

81 visualizações