• Da Redação

Abrigo Cristo Redentor precisa de ajuda financeira

São necessários cerca de R$ 200 mil mensais para manter o local, que abriga 200 idosos



Da Folha de Pernambuco

Foto: Thiago Britto/Folha de Pernambuco


Com capacidade para acolher cerca de 200 idosos, o Abrigo Cristo Redentor está com dificuldades financeiras para manter as atividades. Localizado no bairro de Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes, atualmente o espaço abriga 103 homens e mulheres acima de 60 anos, muitos abandonados pela família.

As ajudas chegam de várias formas, mas ainda é preciso muito mais para atender todas as necessidades do local, que foi inaugurado em 1942 e já chegou a abrigar 380 pessoas. De acordo com os responsáveis pelo abrigo, nos dois últimos anos algumas empresas que contribuíam mensalmente com as despesas do espaço deixaram de ajudar, aumentando os esforços para garantir o funcionamento do local.

Por mês, o Cristo Redentor precisa de R$ 200 mil, em média, para manter as atividades, mas esta conta não está fechando. De acordo com a captadora de recursos financeiros do abrigo, Sibele Rosado, o local se mantém graças a doações de sócios contribuintes e através do pagamento mensal por parte dos idosos.

Cada um deles paga 70% do seu benefício pela permanência no espaço, que tem quase 80 anos de existência. A rotina dos abrigados é a de uma casa como outra qualquer. Alimentação, assistência médica, recreação, orientação psicológica, acompanhamento nutricional são algumas das assistências oferecidas aos moradores.

“Costumamos dizer que nem só de pão vive o Homem. Somos muito gratos pelos alimentos que são doados, pois são essenciais. Mas temos outras despesas tão importantes quanto esta que precisam ser honradas. Para se ter uma noção, pagamos em torno de R$ 8 mil por mês apenas de energia elétrica. Temos 80 funcionários para pagar os salários todos os meses. Quando são realizadas campanhas e em algumas datas comemorativas, como o Natal, as pessoas nos procuram mais. Contudo, este interesse não dura o ano inteiro e aí mora o perigo para os idosos”, comenta a captadora de recursos financeiros do abrigo.

Quem quiser fazer doações para ajudar nos cuidados com os abrigados pode colaborar com alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e higiene pessoal, além de fraldas geriátricas. O que muitos não sabem é que uma visita, uma conversa, um carinho também fazem toda a diferença.

“Temos idosos aqui que estão há anos sem receber a visita de um parente. Por mais que eles digam que está tudo bem, sabemos que carinho faz bem a qualquer pessoa e não receber isso de uma familiar, um amigo é difícil”, avalia Sibele Rosado. Ainda assim, quem chega ao local os encontra com um sorriso no rosto e dispostos a receber o visitante de braços abertos.

Maria das Dores Aguiar, de 93 anos, é uma das figuras mais conhecidas no Cristo Redentor. Com a leveza no olhar de uma adolescente, dona Dorinha, como é carinhosamente chamada no local, relembra histórias marcantes de sua vida e diz ser uma idosa feliz.

“Estou no abrigo desde 2004 e aqui sou bem cuidada. Brinco que não gosto de mulher e só tenho amigos homens, mas o que muitos não sabem é que casei com meu único namorado. Foi um casamento muito feliz que durou 43 anos”, conta sorrindo. Na última sexta-feira, foi realizada uma festa para celebrar os aniversariantes do mês e dona Dorinha não perdeu a chance de dançar um pouco e contagiar todos com sua alegria.

Morando no abrigo há cerca de seis anos, Luiz Jorge, de 84 anos, também tem muita história para contar. Ele diz que morou a maior parte da vida em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Amante do forró, ele diz que adora os festejos juninos e sente falta de quando ia para as festas arrastar o pé ao som da sanfona, triângulo e zabumba. Sobre o abrigo, ele diz que não tem o que reclamar. “Aqui não nos deixam faltar nada. Fazemos todas as refeições. Temos nosso cantinho para dormir, descansar. Os funcionários são atenciosos. Sempre que tem uma festa é uma distração para nós”, afirma.

Campanha Para conseguir manter os cuidados com os idosos que vivem no abrigo, a realização de campanhas são fundamentais. Responsável pela administração do local desde 1960, o Rotary Club do Recife realiza na próxima sexta-feira o Forró do Abrigo Cristo Redentor. O evento acontece na Cachaçaria Carvalheira, Zona Sul do Recife, a partir das 21h. Entre as atrações confirmadas estão Petrúcio Amorim, Dudu do Acordeon, Irah Caldeira e Santa Clara. Os ingressos custam R$ 50, às venda na Labor Câmbio e nas lojas Tim dos shoppings Recife, Guararapes, Plaza e Boa Vista.


#maisjaboatao #jaboatao #jaboataocentro #abrigocristoredentor


4 visualizações